Contido principal do artigo

Sara Raquel Duarte Reis da Silva
CIEC - Instituto de Educação - Universidade do Minho
Portugal
http://orcid.org/0000-0003-0041-728X
Biografía
No 52 (2018): 1º semestre, Estudos
DOI https://doi.org/10.15304/bgl.52.4580
Recibido: 02-02-2018 Aceptado: 03-05-2018 Publicado: 14-05-2018
Copyright Como citar

Resumo

Neste estudo, reflecte-se primeiramente acerca da relevância da História da Literatura, do esclarecimento de alguns dos seus ‘pontos nodais’ e do papel fundamental do seu conhecimento, co-relacionada com a Filologia, no âmbito de uma educação literária. De seguida, propõe-se uma revisitação e uma análise da produção literária integral de Maria Cândida Mendonça (1930-1997), procurando dilucidar o seu lugar na Literatura Portuguesa para a Infância. Autora de um conjunto relativamente restrito –mas interessante– de títulos, uns situados no domínio da narrativa/prosa e outros no da poesia, todos publicados com a chancela da Plátano Editora, em colecções que, à data de edição, possuíram um importante papel, Maria Cândida Mendonça é uma das autoras que lamentavelmente parece integrar o grupo das ‘femmes oubliées’ da literatura e das artes portuguesas.

Detalles do artigo

Citas

Compagnon, Antoine. 2010. Para Que Serve a Literatura?. Porto: Deriva.

Cunha, Carlos Manuel F. da. 2011. “A História Literária no Século XXI”. Em Pensar a Liter@tura no Séc. XXI ( orgs. José Amadeu Silva, José Cândido Martins e Miguel Gonçalves). Braga: Publicações da Faculdade de Filosofia-Universidade Católica Portuguesa, pp. 299-305.

Equipo Glifo. 1998. Diccionario de termos literarios. Vol. E-h. Santiago de Compostela: Centro Ramón Piñeiro para a Investigación en Humanidades/Xunta de Galicia.

Gomes, José António. 1993. A Poesia na Literatura para a Infância. Porto: Asa.

Gomes, José António. 1997. Para uma História da Literatura Portuguesa para a Infância e a Juventude. Lisboa: MC-IPLB.

Lemos, Esther. 1972. A Literatura Infantil em Portugal. Lisboa: MEN-DGEP.

Lemos, Esther. 1973. “Infantil, literatura”. Em Dicionário de Literatura, v. 1 (org. Jacinto do Prado Coelho). Porto: Figueirinhas, pp. 467-475.

Mendonça, Maria Cândida. 1975. O Bosque Pintado. Lisboa: Plátano Editora (ilustrações de João Machado).

Mendonça, Maria Cândida. 1975. O Livro do Faz-de-Conta. Colec. “Plátano de Abril”, nº 3. Lisboa: Plátano Editora (ilustrações de Romeu Costa).

Mendonça, Maria Cândida. 1981. A Cidade dos Automóveis. Colec. “Caracol”, nº 8. Lisboa: Plátano Editora (capa e ilustrações: Carlos Barradas).

Mendonça, Maria Cândida. 1984. O Arco-Íris da Amizade. Colec. “Caracol”, nº 22. Lisboa: Plátano Editora (capa e ilustrações: Fred).

Mendonça, Maria Cândida. 1986. A Cor Que Se Tem. Colec. “a rã que ri”, nº 22. Lisboa: Plátano Editora (ilustrações de Francisco Tellechea).

Pires, Maria Laura Bettencourt. 1983. História da Literatura Infantil Portuguesa. Lisboa: Vega.

Ramos, Ana Margarida. s./d. A cor que se tem (recensão), em http://www.casadaleitura.org/portalbeta/bo/portal.pl?pag=sol_li_fichaLivro&id=1754 [Consulta: 20/10/2016].

Reis, Carlos. 1981. Técnicas de Análise Textual. Coimbra: Almedina.

Rocha, Natércia. 2001. Breve História da Literatura para Crianças (Nova edição actualizada até ao ano 2000). Lisboa: Caminho.

Roig Rechou, Blanca (coord.). 2016. Historia da Literatura Infantil e Xuvenil Galega. Vigo: Xerais.

Shavit, Zohar. 2003. Poética da Literatura para Crianças. Lisboa: Editorial Caminho.

Silva, Maria Araújo da e Besse, Maria Graciete (orgs.). 2016. Femmes Oubliées dans les Arts et les Lettres au Portugal (XIXe.-XXe. Siècles). Paris: Indigo-Côté Femmes.

Silva, Sara Reis da. 2016. Capítulos da História da Literatura Portuguesa para a Infância. Porto: Tropelias & Companhia.

Silva, Vítor Aguiar e. 1990. Teoria da Literatura. Coimbra: Almedina (8ª ed.).

Souza, Roberto Acízelo de. 2014. História da Literatura. Trajetória, fundamentos, problemas. São Paulo: Realizações Editora.

Villanueva, Darío. 1994. Avances en Teoría de la Literatura (Estética de la Recepción, Pragmática, Teoría Empírica y Teoría de los Polisistemas). Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela.

Villanueva, Darío. 2004. “O estatuto actual da crítica literária”. Em Elementos de Crítica Literaria (coord. Arturo Casas), colec. Universitaria, série Manuais, nº 10, Vigo: Xerais, pp. 17-38.

Weinreich, Torben. 2000. Children’s Literature – Art or Pedagogy?. Copenhaga: Roskilde University Press.