Contido principal do artigo

Fernando Brissos
Universidade de Lisboa
Portugal
2018: Número especial, Pescuda, páxinas 193-208
DOI https://doi.org/10.15304/elg.ve1.3560
Recibido: 08-09-2016 Aceptado: 15-05-2017 Publicado: 09-02-2018
Copyright Como citar

Resumo

Autor / Rodrigues (2016) apresentam dados acústicos que sugerem a reformulação, em vários aspetos fundamentais, da imagem que nos tem sido legada sobre uma das variedades dialetais mais idiossincráticas do português: a variedade do Baixo Minho e Douro Litoral da proposta de classificação dos dialetos portugueses de Cintra (1983). Para se poder rever aquela imagem, os dados de Autor / Rodrigues necessitam, porém, de ser testados à luz do confronto com uma rede densa de inquéritos. Levamos a cabo esse confronto neste artigo, chegando a uma proposta de reformulação da variedade dialetal do noroeste português assente em três pilares: a área da variedade é muito mais estendida do que é referido tradicionalmente; o traço identificador da variedade, a ditongação de vogais tónicas, deixa apenas de fora as vogais cardinais; existe ditongação não apenas com semivogais altas mas também com semivogais não-altas centrais. Daí resulta a primeira revisão concreta da proposta de Cintra, procedimento que defendemos ser importante introduzir nos estudos dialetais do português. Desse novo quadro resulta, por sua vez, um novo posicionamento de algumas questões essenciais de história e fonética/fonologia da língua portuguesa.

Detalles do artigo

Citas

Álvarez Pérez, Xosé Afonso (2014): “European Portuguese dialectal features: a comparison with Cintra’s proposal”, Journal of portuguese linguistics 13(1), 29-62.

Álvarez Pérez, Xosé Afonso (2015): “Isoglossas portuguesas nos materiais do Atlas Lingüístico de la Península Ibérica: análise crítica da Nova Proposta de Lindley Cintra”, Zeitschrift für romanische Philologie 131(1), 185-223. DOI: 10.1515/ zrp-2015-0008.

Atlas Acústico do Vocalismo Tónico Português, página web: http://www.clul.ul.pt/en/researchteams/538-avoc-acoustic-atlas-of-portuguese-stressed-vowels

Atlas Linguarum Europae, página web internacional: http://www.lingv.ro/ALE.html

Atlas Linguarum Europae, página web portuguesa: http://www.clul.ul.pt/en/research-teams/209-atlas-of-the-european-languages-ale

Atlas Linguístico-Etnográfico de Portugal e da Galiza. Questionário linguístico, 3 vols. (1974). Lisboa: Instituto de Linguística.

Boléo, Manuel de Paiva / Maria Helena Santos Silva (1974): “O “Mapa dos dialectos e falares de Portugal continental””, em Manuel de Paiva Boléo, Estudos de linguística portuguesa e românica, vol. I, t. I. Coimbra: Universidade de Coimbra, 309-352. (Primeira edição em 1962: Boletim de filologia XX, 85-112.)

Brissos, Fernando / Rodrigues, Celeste (2016): “Vocalismo acentuado do Noroeste português – descrição acústica, variação dialectal e representação fonológica”, Revue romane 51(1), 1-35. DOI: 10.1075/rro.51.1.01bri.

Brissos, Fernando (2012): Linguagem do sueste da Beira no tempo e no espaço. Lisboa: Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.

Brissos, Fernando (2014): “New insights into Portuguese central-southern dialects: understanding their present and past forms through acoustic data from stressed vowels”, Journal of portuguese linguistics 13(1), 63-115.

Cintra, Luís Filipe Lindley (1983): “Nova proposta de classificação dos dialectos galego-portugueses”, em Luís Filipe Lindley Cintra, Estudos de dialectologia portuguesa. Lisboa: Sá da Costa, 119-163. (Primeira publicação em 1971: Boletim de filologia XXII, 81-116.)

Cunha, Celso / Luís Filipe Lindley Cintra (1984): Nova gramática do português contemporâneo. Lisboa: Edições Sá da Costa.

Ferreira, Manuela Barros et al. (1996): “Variação linguística: perspectiva dialectológica”, em Isabel Hub Faria et al. (orgs.), Introdução à linguística geral e portuguesa. Lisboa: Caminho, 479-502.

Ferreira, Manuela Barros (1992): “Dialectologia da área galego-portuguesa”, em Atlas da língua portuguesa na história e no mundo. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 30-38.

Ferreira, Manuela Barros (1996): “Le domaine portugais”, em Atlas linguistique roman, vol. I. Roma: Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, Libreria dello Stato, 21-29.

Gottschalk, Maria Filipa (1977): “Trabalhos preparatórios para o ALEPG”, em Actas del V Congreso Internacional de Estudios Lingüísticos del Mediterráneo. Madrid: s.n., 573-578.

Saramago, João (2006): “O Atlas Linguístico-Etnográfico de Portugal e da Galiza (ALEPG)”, Estudis romànics XXVIII, 281-298.

Segura, Luísa / João Saramago (2001): “Variedades dialectais portuguesas”, em Caminhos do português. Lisboa: Biblioteca Nacional, 221-237.

Segura, Luísa (2013): “Variedades dialetais do português europeu”, em Eduardo Paiva Raposo et al. (orgs.), Gramática do português, vol. I. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 85-142.

Vasconcelos, José Leite de (1893): “Carta dialectologica do continente português”, em Manuel A. Ferreira-Deusdado, Chorographia de Portugal. Lisboa: Guillard, Aillaud & C.ia, 15-16. – Separata (1897): Mappa dialectologico do continente português. Lisboa: Guillard, Aillaud & C.ia. – Reedição com alterações em José Leite de Vasconcelos (1929): Opúsculos, IV. Coimbra: Imprensa da Universidade, 791-796.

Vasconcelos, José Leite de (1970): Esquisse d’une dialectologie portugaise. 2.ª edição com aditamentos e correcções do autor, preparada, com base no exemplar conservado no Museu Etnológico «Dr. Leite de Vasconcellos», por Mª Adelaide Valle Cintra, Lisboa: Centro de Estudos Filológicos. (Primeira edição em 1901: Paris: Aillaud.)

Vázquez Cuesta, Pilar / Maria Albertina Mendes da Luz (1980): “Estado actual do português na Península Ibérica”, em Pilar Vázquez Cuesta / Maria Albertina Mendes da Luz, Gramática da língua portuguesa. Tradução, a partir da 3.ª edição corrigida e aumentada (1971), de Ana Maria Brito e Gabriela de Matos, Lisboa: Edições 70.