Contido principal do artigo

Wagner Argolo Nobre
União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME)
Brasil
Biografía
Vol 10 (2018), Pescuda, páxinas 5-26
DOI https://doi.org/10.15304/elg.10.4299
Recibido: 18-09-2017 Aceptado: 14-02-2018 Publicado: 01-08-2018
Copyright Como citar

Resumo

Neste artigo, tentamos esboçar uma reanálise de como se perdeu o traço de quantidade das vogais latinas, levantando as seguintes hipóteses que a guiaram: i) a perda da quantidade vocálica teve início já durante as Guerras Púnicas; ii) tal mudança teve como uma de suas fontes irradiadoras o Norte e parte do Sudeste da Península Ibérica; iii) tal mudança foi o resultado de processos de aquisição do latim como segunda língua, por povos conquistados, e foi transmitida às gerações seguintes, completando-se. Esta última hipótese é a principal e está atrelada à visão de complementaridade entre os estudos da Sociolinguística e do Gerativismo, denominada, por Tarallo (1987), seu primeiro teorizador, de Sociolinguística Paramétrica. Para fazer esta atrelagem, procuramos estender sua teorização ao nível do objeto, de modo a que os processos sócio-históricos que envolveram a expansão do latim pudessem ser conjugados com o paradigma gerativista de aquisição da linguagem – o que inclui a assunção da existência prévia do componente biológico-cerebral, que disponibiliza uma Gramática Universal para o uso inato da criança, quando começa a adquirir uma língua. Portanto, trata-se de um trabalho situado, simultaneamente, na linguística teórica e na linguística românica.

Detalles do artigo

Citas

Barros Ferreira, Manuela (1992): “Vestígios do romance moçarábico em Portugal”, Arqueologia Medieval 1, 217-228.

Borer, Hagit (1983): Parametric syntax. Case studies in Semitic and Romance Languages. Dordrecht: Foris Publications.

Câmara Jr., Joaquim Mattoso (1972/19752): História e estrutura da língua portuguesa, 2ª ed. Rio de Janeiro: Padrão.

Castro, Ivo (1991): Curso de história da língua portuguesa. Lisboa: Universidade Aberta.

Chomsky, Noam (1968/2009): Linguagem e mente. São Paulo: Editora UNESP.

Chomsky, Noam (1993/2015): The minimalist program, 20th Anniversary Edition. Massachusetts: The MIT Press.

Coseriu, Eugênio (1979): Sincronia, diacronia e história. Rio de Janeiro: Presença.

Cristófaro Silva, Thaïs (1998/2015): Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. São Paulo: Contexto.

Fonte, Juliana Simões (2010): Rumores da escrita, vestígios do passado: uma interpretação fonológica das vogais do português arcaico por meio da poesia medieval. São Paulo: Editora UNESP/ Cultura Acadêmica.

Galves, Charlotte (1995): “Princípios, parâmetros e aquisição da linguagem”, Caderno de Estudos da Linguagem 29, 137-152.

Grolla, Elaine / Maria Cristina Figueiredo Silva (2014): Para conhecer: Aquisição da linguagem. São Paulo: Contexto.

Hricsina, Jan (2013): “Evolução do sistema vocálico do latim clássico ao português moderno (tentativa da verificação in corpora)”, Études Romanes de Brno 34/2, 205-225.

Ilari, Rodolfo (1998): Introdução à linguística românica. São Paulo: Ática.

Kato, Mary (2002): “A evolução da noção de parâmetros”, D.E.L.T.A. 18/2, 309-337.

Kenedy, Eduardo (2013): Curso básico de linguística gerativa. São Paulo: Contexto.

Kruschwitz, Peter / Hilla Halla-Aho (2007): “The pompeian wall inscriptions and the Latin language: a critical reapparisal”, Arctos 41, 31-49.

Lehmkuhl Coelho et al. (2015): Para conhecer: Sociolinguística. São Paulo: Contexto.

Lucchesi, Dante (2004): Sistema, mudança e linguagem. São Paulo: Parábola.

Mattos e Silva, Rosa Virgínia (2006): O português arcaico: fonologia, morfologia e sintaxe. São Paulo: Contexto.

Meillet, Antoine (1928): Esquisse d’une Histoire de la langue latine. Paris: Librairie Hachette.

Silva Neto, Serafim da (1957a): História da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Presença.

Silva Neto, Serafim da (1957b): História do latim vulgar. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico.

Tarallo, Fernando (1987): “Por uma sociolinguística românica ‘paramétrica’: fonologia e sintaxe”, Ensaios de Linguística 13, 51-83.

Tarallo, Fernando / Mary Kato (1989/2007): “Harmonia trans-sistêmica: variação intra- e inter-linguística”, Revista Diadorim 2, 13-42.

Teyssier, Paul (1980/2007): História da língua portuguesa, 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes (tradução de Celso Cunha).

Trubetzkoy, Nikolai (1939/1970): Principes de phonologie. Paris: Librairie Klincksieck (tradução de J. Cantineau).

Väänänen, Veikko (1963/1968): Introducción al latín vulgar. Madrid: Gredos.

Weinreich, Uriel /William Labov / Marvin Herzog (1968/2006): Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola.